Arquitetura, Decoração e Lifestyle

Sobre Colchões

Sobre Colchões

Como prometido no post sobre camas, nesse post irei falar sobre colchões, mais precisamente dos tipos, tamanhos e como escolhê-los. Essas dicas são para que você gaste seu sagrado dinheirinho em um produto bom e que supra as necessidades que um colchão deve suprir que é:  manter sua coluna alinhada e que ceda na medida exata da curvatura do corpo, ou seja ele deve dar total apoio à coluna, sem força-la.

Quando trocar o colchão ? 

Verifique se existe manchas ou cores diferentes, buracos ou sujeira. E se está desnivelado, com a densidade muito baixa e desconfortável. No meu caso, ele estava extremamente sujo e com manchas pequenas e pretas e começou a me dar coceira acredito que seja de bactérias que se proliferaram durante os 7 anos de uso.

Dicas para a hora da compra 

1 – Colchão duro ou mole? Nenhum dos dois. Quando o colchão é muito mole, pode entortar a coluna e causar dores nas costas. O colchão duro demais pode cansar a musculatura, provocando dores nos ombros, quadris e juntas. É aquele famoso meio termo, no fim a coluna deve ficar alinhada e os músculos relaxados.

2 – Não se cegue pela beleza de um conjunto cama e colchão pré pronto na loja. Os vendedores querem vender, as vezes eles acabam te empurrando qualquer produto então vá preparado com suas necessidades para não se arrepender depois. Não precisa comprar aquele conjunto afinal cama e box ou cama tradicional podem ser comprados separadamente.

3 – Experimente o colchão: Sim, deite. Se for de casal o parceiro também deve estar lá e fazer isso junto. Olhe o acabamento lateral do colchão veja se é feito a mão, porque dura mais.

4 – Não compre colchão caro para crianças. Afinal eles estão crescendo e só quando atingir um peso maior que 38 kg  vale a pena pensar em trocar pelo colchão ideal já que o corpo com menos de 38 kg não exerce tanta pressão sobre o colchão.

5 – As vezes a suposta garantia de conforto é sobre um dos materiais usados no colchão e não nele por completo, fiquem de olho.

6 – É importante medir a densidade do colchão antes de comprá-lo, colchões adequados ao dono, chegam a durar cerca de dez anos. E quando for fazer a conta e o colchão for de casal leve em conta quem tem maior altura e peso. A conta é feita pelo Peso x Altura e as densidades de colchão.  

Fonte tabela: Nursing

Quando for comprar já leve a densidade para ir nos modelos certos.

7 – Nosso colchão deve ficar no mínimo a 30 centímetros do chão, essa distância garante uma ventilação boa. Estrado ou box? O estrado ganha no quesito circulação de ar, o que evita irritações na pele provocadas pelo excesso de suor. Se você manter a promessa de periodicamente virar o colchão e deixa-lo por algum tempo arejar dentro do seu quarto, isso supre mais para que a cama box não prejudique seu colchão.

Tipos de colchões

Colchão de molas: há algumas versões desse modelo.

  • O de molas entrelaçadas (conhecidas como molas bonnel) cobertas por uma camada de espuma não é indicado para casais porque quando uma pessoa se mexe em um lado do colchão, o outro lado balança muito. É mais indicado para solteiros, suporta até 150 quilos em média e é pesado.
  • Já o de molas ensacadas, (sistema pocket) é para casais, pois as molas são envolvidas uma a uma. Tem uma camada especial de espuma chamada pillow top, que proporciona conforto extra. A desvantagem é que ela só está presente em um dos lados, e isso evita que o colchão seja virado periodicamente.

Colchão de espuma: O colchão de espuma (Espuma de poliuretano) é o mais comum e o mais vendido. É encontrado em alturas e densidades variadas. tende a ser mais barato, o que possibilita de ser trocado mais facilmente. E se mal escolhido ele precisara dessa troca constantemente.

Colchão ortopédico: Seu suporte é mais duro, porque há uma tábua de madeira entre as camadas de espuma. Não é o mais indicado pelos médicos mas tem gente que gosta e se sente bem.

Colchão látex: É produzido em material sintético, derivado da borracha. É macio e não esquenta. Porém não possui uma boa estimativa de  durabilidade.

Colchão viscoelástico: Esse material não deforma com o peso do corpo. Ele memoriza o contorno do corpo dando muito conforto. Suporta qualquer peso e altura. Geralmente se leva quase um mês para se adaptar completamente a um colchão e essa versão demora mais e isso torna a experiência das primeiras semanas de uso dele mais complicada.

Lembrando que não existe melhor ou pior, existe gosto. E com certeza os tipos não param por ai, constantemente as marcas estão inovando. Já existem tipos que contem revestimento de tecido antimicrobiano com íons de prata que matam fungos e bactérias e ajudam a melhorar o sono de quem sofre com alergias respiratórias. Então além de encontrar o colchão que encaixe bem a suas necessidades, dá para ampliar mais benefícios e só sair ganhando. Ah e já existem modelos feitos com matérias-primas renováveis e substâncias naturais para contribuir com a preservação do meio ambiente.

Como cuidar 

  • A cada 2 anos os travesseiros devem ser trocados para não proliferar ácaros nos colchões.
  • Quando for virar o colchão, coloque a parte dos pés onde fica a cabeça e depois inverta as faces. Assim ele sempre estará nivelado e faça todo mês pelo menos.
  • Se molhar, abra a janela e deixe secar naturalmente, nada de por no sol pois bactérias usam dele para se proliferar.
  • Compre capas antiácaro tanto para o colchão quanto para o travesseiro e as lave regularmente.
  • Passe o aspirador quinzenalmente e lave as capas toda semana.

Mais dicas de cuidados ? entra nessa matéria do site colchão costa rica 

Então após verificar tudo isso, compre um colchão e durma muito bem porque merecemos né.

Fontes imagens: 1/2/3/4/5/6

1


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *